quinta-feira, dezembro 27, 2007

CHAMA-SE RICARDO E É O MAIS NOVO HABITANTE DE VILAS RUIVAS

È para nós, naturais de Vilas Ruivas, sinónimo de grande alegria ver nascer na nossa aldeia um bébé.

Começa a ser caso raro nas nossas aldeias, mas o que é certo é que Vilas Ruivas tem um novo habitante.

Chama-se Ricardo, nasceu em 10 de Outubro, e é filho de Henrique Jorge e de Ana Cristina, o jovem casal que vive na nossa aldeia.

Foi com muita alegria que agora vimos o bébé e lhe tirámos a fotografia da praxe. E que tão lindo que ele é...com olhos azuis...uma beleza.


(Ricardo, o mais jovem e mimado habitante da aldeia de Vilas Ruivas. E que bonito que ele é !!! )


Neste momento de tão grande alegria, não podemos deixar de endereçar ao jovem casal os nossos sinceros parabéns pelo nascimento do Ricardo, e que a saúde e a alegria no lar com este mimo, seja eterna.

Vilas Ruivas está assim mais rica. Parabéns Henrique Jorge e Ana Cristina pelo vosso rebento. È lindo!.

Jorge Manuel Cardoso

PASSAGEM DE ANO 2007-2008 EM VILAS RUIVAS

À semelhança dos anos anteriores, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas vai levar a efeito a realização da Passagem de Ano 2007-2008.

A grande festa tem o seu início às 20.00 Horas do dia 31 de Dezembro, com um farto jantar para todos aqueles sócios, familiares e naturais da aldeia, que se inscreveram até ao dia 25 de Dezembro.

Na ementa, o já tradicional bacalhau assado na brasa, o Leitão assado, o Caldo Verde, os doces regionais, as passas de uva, o champanhe entre muitos outros pratos que serão servidos ao longo da noite.

Para além destas guloseimas, o grande baile para a noite inteira, com um DJ preparado para animar todos os presentes.




( Passagem de ano 2007-2008 em Vilas Ruivas. O reviver de bons velhos tempos, num excelente trabalho feito em prol da comunidade pelo Grupo de Amigos de Vilas Ruivas)


Uma festa que promete no Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, que teima em manter bem acesa a chama do convívio entre todos os sócios, familiares e naturais da aldeia de Vilas Ruivas.


( Festa de Passagem de Ano em Vilas Ruivas é sinónimo de grande alegria e de saudável convívio entre todos os naturais da aldeia )


Vamos desejar a todos, um BOM E FELIZ ANO DE 2008 !


Jorge Manuel Cardoso

...E JÁ SE PASSOU MAIS UM NATAL....NA ALDEIA

Não foram muitas, mas foram algumas. Famílias inteiras rumaram a Vilas Ruivas para ali passar o Natal em Família. Um Natal na aldeia, com sabor diferente, onde os valores tradicionais e culturais teimam em se manter, muito por fruto do trabalho exemplar do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, em prol da aldeia, e nessa tentativa de fazer submergir todos esses nossos valores.

Com a colaboração da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão - o nosso muito obrigado ao Vice-Presidente Luís Pereira - , realizou-se uma vez mais a Festa do Madeiro, com a realização da Fogueira de Natal no Largo Principal da Aldeia.

Com a Associação aberta durante a noite, não faltou o bom café quente, a boa chouriça assada na brasa, e grandes momentos de convívio entre todos. À meia noite foi a hora da distribuição das prendas, e depois disso, muitos voltaram ao Largo da Aldeia, junto à fogueira, onde se relembraram histórias antigas, dos nossos antepassados. Daquelas histórias, que embora algumas sejam repetidas, todos gostam de ouvir e de recordar com muita saudade.

Nesta quadra natalícia, a Associação foi o ponto de encontro de muitos convivas. Ali se jogaram alguns jogos tradicionais da nossa aldeia. Daqueles jogos que só se jogam mesmo...na nossa aldeia.

Outros aproveitaram para, e durante o dia, se deslocarem até ao Alto da Serra para visitarem as obras de requalificação do nosso Castelo e de toda a zona envolvente.


(Zona do Castelo e Ermida de Nossa Senhora do Castelo foi ponto de romaria nesta quadra Natalícia para centenas de pessoas)


A este propósito, registe-se as centenas e centenas de veículos que se deslocaram para aquele local paradisíaco do nosso concelho.

Em suma, uma quadra natalícia passada na nossa aldeia, com a cozinha tradicional da época, com os doces regionais a fazerem a delícia de todos, com particular destaque para as tijeladas e para as célebres e apetitosas filhós.


( As saborosas Tijeladas foram as rainhas deste Natal na Aldeia de Vilas Ruivas )


Uma vez mais, muitos habitantes e naturais de Vilas Ruivas teimam em manter bem acesas as nossas tradições, os nossos costumes, a nossa história.

A todos aqueles que participaram nesta quadra festiva e se juntaram às várias iniciativas realizadas, o nosso muito obrigado, e para o próximo ano, lá estaremos novamente.

Jorge Manuel Cardoso

segunda-feira, dezembro 17, 2007

GRUPO DE AMIGOS DE VILAS RUIVAS LEVA A EFEITO A SUA JÁ HABITUAL FESTA DE PASSAGEM DE ANO


Mais um ano que se aproxima do seu final, e como é natural nestas alturas, começa-se a pensar na grande noite de Passagem-de-Ano.

Á semelhança de anos anteriores, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas (GAVR) vai levar a efeito a sua já habitual festa de Passagem de Ano, exclusivamente destinada aos seus associados e respectivos familiares, bem assim como a naturais da aldeia de Vilas Ruivas.

Para o efeito, já se encontram abertas as inscrições na sede social da nossa Associação para a Festa de Passagem de Ano na nossa Aldeia.

Sabemos que o dia 31 de Dezembro é dia de trabalho para muitos que se encontram fora do concelho, mas apelamos que com um "bocadinho de esforço" consigam estar presentes na nossa Festa de Passagem de Ano.


CONTAMOS COM TODOS VÓS NAS VILAS RUIVAS


QUADRA NATALÍCIA COM SABOR É NA NOSSA ALDEIA.


È um facto indesmentível, que de ano para ano, cada vez menos naturais da nossa aldeia passam os Festejos de Natal em Vilas Ruivas.

E não devia ser assim. Outrora uma aldeia animada de muita juventude nos festejos natalícios, que palmilhavam serras e caminhos à procura de grandes madeiros para a grande fogueira de Natal que se fazia ( e ainda teima em se fazer !) no Largo da Aldeia, está hoje reduzida a meia dúzia de jovens ou de "menos velhos", que teimam em manter viva essa tradição.

E a nossa aldeia, as nossas casinhas que ainda lá temos, as nossas ruas, os nossos caminhos, os nossos cabeços, o nosso Castelo, a nossa Ermida, as nossas gentes são tão belas e afáveis, que não mereciam que lhes estejamos a fazer uma coisa destas, não passando a quadra natalícia com eles.





O Natal tradicional é na nossa aldeia. Foi assim que nos habituámos em pequenos. Porque é que agora tudo não é assim ?

Porquê teimar em ficar nos grandes centros urbanos ?

Porquê uma deslocação a Vilas Ruivas em vésperas de Natal, com o intuito de ir buscar a família para os grandes centros e aí passar a quadra Natalícia. Porque não o contrário ? Tirar os nossos "velhinhos" da nossa aldeia nestas alturas, é cometer um crime cultural e tradicional. Eles que sempre estiveram habituados a preparar tudo com bom gosto para o grande dia nas suas casinhas! E agora tiram-nos de lá para os trazer para Lisboa e arredores?




O bacalhau, o perú e outras iguarias tradicionais desta época têm mais sabor junto às nossas tradicionais lareiras, na nossa querida aldeia que nos viu nascer, e pela qual temos um carinho tão grande. Esquecê-la nesta altura é um CRIME e uma falta de respeito pelos nossos valores culturais e tradicionais.

Apelamos a todos os naturais da nossa aldeia que invertam estes procedimentos e que voltem a dar colorido a Vilas Ruivas.

Que cumpram novamente com as tradições seculares dos nossos antepassados, palmilhando serras, cabeços e caminhos, na procura de grandes madeiros e lenha para a Fogueira de Natal no Largo Principal da nossa Aldeia.

Não podemos deixar morrer as tradições das nossas gentes. Este apelo tem forçosamente que mexer com todos nós, aqueles que "ainda" amam e zelam pela sua aldeia, pelo lugar onde nasceu, conviveu, aprendeu a ser mulher e homem.

Por isso vos digo:

NATAL É NA NOSSA ALDEIA.

VAMOS REVIVER E TRAZER DE VOLTA AS NOSSAS TRADIÇÕES E AS NOSSAS RAÍZES.

PORQUE AMAMOS E DEVEMOS CONTINUAR A AMAR A NOSSA TERRA QUE NOS VIU NASCER !



E que tal fazermos novamente uma grande fogueira de Natal no Largo da Aldeia ?

Recordo-vos como é na foto abaixo.

Vamos lá. Peguem na família e vamos até Vilas Ruivas.






Jorge Manuel Cardoso

segunda-feira, novembro 19, 2007

NOTICIAS DA NOSSA TERRA

Grupo de Amigos de Vilas Ruivas levou a efeito o seu Magusto-Convívio.

EXCELENTES MOMENTOS DE CONVÍVIO.

No pretérito dia 10 de Novembro, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas levou a efeito o seu Magusto Convívio, que se realizou no Largo Principal da Aldeia e na Sede Social da Associação.

A boa castanha assada, a água-pé e a boa febra fizeram as delícias de todos os convivas. Momentos agradáveis e de salutar convívio entre associados, naturais e amigos da aldeia, proporcionaram uma excelente tarde e princípio de noite.

A Direcção do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas agradece desde já a colaboração da Junta de Freguesia de Vila Velha de Ródão, para a realização deste evento, e que foi um êxito.

FESTA DE NATAL

Continuando com a mesma tradição secular da aldeia, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, deseja que todos os associados, naturais e amigos da aldeia optem definitivamente por passar o Natal em Vilas Ruivas, como manda a tradição.

Nos dias 23 e 24 de Dezembro, a história vai repetir-se com a ida aos Madeiros para a grande fogueira de Natal no Largo Principal da Aldeia. Uma tradição que já vem de longe, e que a Direcção do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas deseja ver mantida e preservada.

A todos aqueles que nos últimos anos têm optado por passar esta quadra nos grandes centros urbanos, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, lança o repto a todos, para que invertam essa tendência e cumprem com a tradição de passar a quadra Natalícia na Aldeia, entre familiares a amigos.


PASSAGEM DE ANO

A Direcção do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas está ainda a estudar qual o melhor programa para a Passagem de Ano 2007-2008.

O dia 31 de Dezembro, pelo facto de ser segunda-feira e consequentemente um dia de trabalho, está a condicionar todos aqueles que, se encontrando longe da aldeia, desejavam deslocar-se a Vilas Ruivas para, e à semelhança dos últimos três anos, se divertirem na Sede da Associação. Se é uma certeza que a mesma se vai realizar, a Direcção necessita de efectuar una nota das compras necessárias para que nada falte naquela noite.

Brevemente existirá uma decisão sobre essa festa de Passagem de Ano, a qual será comunicada aos respectivos associados, quer através da próxima edição deste jornal, quer através da página na Internet: www.vilasruivas.blogspot.com .


REQUALIFICAÇÃO DA ZONA ENVOLVENTE AO CASTELO E ERMIDA DE NOSSA SENHORA DO CASTELO



Deslocámo-nos mais uma vez ao alto da serra para vermos “in-loco” as obras de requalificação da zona envolvente ao Castelo e Ermida de Nossa Senhora do Castelo.
As obras continuam e vão dignificar aquela zona, considerada o ex-líbris do concelho. Um local que já há muito tempo merecia uma intervenção deste tipo. Está de parabéns a nossa Autarquia pela decisão tomada. Os rodanenses estão agradecidos e certamente ficarão satisfeitos com a “cara lavada” daquela zona por demais apreciada de quantos a visitam.

No entanto, julgamos de todo conveniente estudarem-se parqueamentos alternativos, já que nos parecem ser manifestamente insuficientes os lugares destinados junto à capela.
Lembramos que por altura das Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo, as viaturas que para ali se deslocam são às centenas, e é necessário, quanto a nós, desbravar algum terreno junto à estrada de ligação da Serra até à Ermida.


ESTRADA DE LIGAÇÃO VILA VELHA DE RÓDÃO- VILAS RUIVAS NECESSITA DE OBRAS DE INTERVENÇÃO

Verificámos que a estrada de ligação entre Vila Velha de Ródão e Vilas Ruivas, ao longo da serra, se apresenta em mau estado quanto ao piso, situação que se verifica em alguns locais dessa mesma estrada.

Sabemos que ela vai ser alvo de uma intervenção por parte da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão a curto prazo.

No entanto, e até lá, apelamos ao bom senso e ao cuidado de todos os senhores automobilistas que por ali passam quase diariamente. Todo o cuidado é pouco para se evitarem alguns acidentes e estragos materiais nas viaturas.


APANHA DA AZEITONA


Mais um ano de apanha de azeitona, numa zona de qualidade indiscutível de azeite como é o nosso concelho.

Este ano a safra foi em menor quantidade do que aquilo que se desejava. No entanto, verificámos que cada vez mais, ficam olivais para apanhar. Outrora fartos, hoje em dia já quase “engolidos “ pelo extenso matagal. Sinais dos tempos modernos e do consumismo.
Não há muito tempo esses mesmos olivais eram apanhados até à última oliveira. Uma realidade indiscutível: os nossos campos continuam a ser abandonados. Mudam-se os tempos….mudam-se as vontades. Neste caso, com muita pena nossa, face à qualidade por demais reconhecida da nossa azeitona e do nosso azeite.


FALECIMENTO

Faleceu em 16 de Novembro,no Lar da Santa casa da Misericórida de Vila Velha de Ródão, o Senhor João Gonçalves Rei, natural de Vilas Ruivas.
O Senhor João era irmão do nosso amigo Acácio, Chefe dos Correios de Vila Velha de Ródão e distinto Tesoureiro da Associação do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas.
O funeral realizou-se no dia 17 para o cemitério de Vila Velha de Ródão, seguido de acompanhamento.
À família enlutada e em particular ao nosso amigo Acácio, os nossos sinceros votos de pesar e de condolências pela perda do seu ente-querido.

domingo, outubro 14, 2007

Falecimento

Faleceu no passado dia 30 de Setembro, no Hospital da Luz, em Lisboa, o sr José Rei, mais conhecido nas Vilas Ruivas, pelo Sr "José Vila".

Natural do Vilar de Boi, o "ti Zé Vila" casou em Vilas Ruivas, com a Sra Ivone. Funcionário dedicado da Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa, o Ti Zé Vila gozava a sua merecida reforma na nossa aldeia, quando uma doença maligna o apoquentou.

Não conseguiu vencer a doença, tal como infelizmente a sua filha, "Zézinha" há cerca de 14 anos atrás.

Deixa em nós uma profunda saudade, pelo seu fino trato e educação.

O funeral, seguido de grande acompanhamento, realizou-se de Vilas Ruivas, para o cemitério de Vila Velha de Ródão.

Á família enlutada, os nossos mais siceros pêsames e condolências.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Jornal Informativo nº05/2007

Vilas Ruivas: Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo
UM MAR DE GENTE NA FESTA RELIGIOSA

Mais um ano e a tradição voltou a cumprir-se em Vilas Ruivas, com a realização dos Festejos em Honra de Nossa Senhora do Castelo.
Devido às obras que se verificam actualmente na zona envolvente à Ermida e ao Castelo, a festa religiosa foi transferida para o Largo Principal da Aldeia, onde a 15 de Agosto, o Revº Escarameia presidiu à Eucaristia e à Procissão em Louvor de Nossa Senhora do Castelo, a mais antiga do concelho de Vila Velha de Ródão.
Nas palavras proferidas a todos os presentes, o Reverendo fez referência à elevada participação dos fiéis nestas cerimónias religiosas, agradecendo “ ao mar de gente presente nestas Festas Religiosas, e à maneira como todos participaram na Eucaristia”.
Efectivamente foram muitas centenas de pessoas, que se deslocaram à aldeia de Vilas Ruivas no dia 15 de Agosto, apesar da chuva forte que se fez sentir ao início da tarde, o que acabou por prejudicar também a festa pagã nessa mesma noite, já que o frio que se fazia sentir, fez com que muitos foliões optassem por ficar em casa.
O mesmo não aconteceu nos dias 14 e 16 de Agosto, onde a festa pagã foi muito participada, e onde muita gente dançou pela noite fora no Largo principal da aldeia ao som de bons conjuntos musicais.
Já durante a tarde, os jogos tradicionais ( com excelentes prémios em disputa) movimentaram toda a juventude da aldeia. Ao mesmo tempo, e durante cinco horas de intensos jogos, o Torneio da Sueca juntou dezasseis equipas que disputaram também valiosos troféus até às 21.00 Horas. O principal troféu ficou em Vilas Ruivas, já que Humberto Pires e o Nuno foram os vencedores do Torneio.
Em relação a contas, o lucro apurado ( 1 187, 00 euros) reverteu para a Associação local- Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, para serem aplicados em futuras obras de melhoramentos na sede social do GAVR.
Este ano, os Festejos em Honra de Nossa Senhora do Castelo, movimentaram cerca de 12 000 euros.
Para o ano de 2008 foram nomeados os seguintes festeiros para os Festejos de Nossa Senhora do Castelo: António Manuel Vaz , António Martins, Ramiro Antunes e o seu genro Jorge, Fernando Gonçalves, Manuel Ribeiro e Manuel Rodrigues.

Grupo de Amigos de Vilas Ruivas festejou o seu 3º Aniversário.
DUZENTOS CONVIVAS NO LARGO PRINCIPAL DA ALDEIA

No dia 17 de Agosto, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas festejou o seu 3º aniversário com um almoço, onde participaram cerca de duzentos associados.
Presentes também nestas comemorações, Drª Maria do Carmo Sequeira, Presidente da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, o Vice-Presidente, Luís Miguel Ferro Pereira, o Presidente da Mesa da Assembleia Municipal, Eng. Conceição Lopes, e José Henriques, Vice-Presidente da Junta de Freguesia de Vila Velha de Ródão.
No largo principal da aldeia, o já célebre porco no espeto exemplarmente bem servido pelo empresário da restauração albicastrense, Abílio Baptista, foi a ementa para este 3º Aniversário do GRAV. Uma ementa que já vem sendo tradição, face ao êxito que granjeou junto de todos os associados da Associação.
Quanto às perspectivas da Direcção da Associação para o futuro, o presidente Jorge Manuel Cardoso afirma que “ vamos continuar a privilegiar a união de todos os associados e da população da aldeia com passos seguros. E com diversas iniciativas, de onde se destaca já no próximo dia 6 de Outubro outro convívio com a já tradicional peixada e em Novembro, o também já tradicional Magusto, este ano com a 4ª edição.
É também gratificante vermos que no dia a dia, a sede da Associação é sempre frequentada por todos, onde se podem dar dois dedos de conversa, ver televisão por cabo, participar nos jogos tradicionais etc..etc... . Desde que a sede foi inaugurada em 2005, penso que ainda não existiu um único dia em que estivesse fechada aos sócios durante o horário normal.
Isso demonstra o amor e a dedicação com que as pessoas da aldeia olham para a sua Associação, principalmente todos aqueles que conseguem assegurar essa mesma abertura, como é o caso dos senhores João Albino, João São Pedro, José Pereira, Valentim Marques, António Fernandes, António Belo, João Agostinho e Acácio Rei, entre outros dedicados associados, e que têm feito um trabalho exemplar em prol da Associação. O objectivo agora é recolher os fundos necessários para as obras do 2º piso e do logradouro, que visam melhorar as condições da sede social”, adiantando ainda que “ espera também a colaboração da Câmara Municipal através dos seus Serviços Técnicos, da Junta de Freguesia, de todos os sócios, população e amigos da aldeia de Vilas Ruivas”.
Para Jorge Cardoso “ interessa-nos dotar a sede com todas as condições para a realização de exposições e de outros eventos, introduzir material de informática e multimédia e um espaço de lazer para a juventude da aldeia. Para isso acontecer, só com as obras que temos em vista o podemos concretizar”. O dinheiro de donativos tem sido bem investido, mas ainda é manifestamente pouco para uma obra que nos vai custar entre 50 a 60 mil euros. A nossa preocupação é a aposta nas infra estruturas, e com passos seguros podemos no futuro avançar para uma IPSS, já que existem outros espaços na aldeia, que já foram oferecidos à Associação única e exclusivamente destinados a esse fim”.
O Grupo de Amigos de Vilas Ruivas festejou assim o seu 3º aniversário e prepara também outros projectos e outras iniciativas a desenvolver no futuro.
Tudo em prol da aldeia de Vilas Ruivas.
Falecimento:
Faleceu no pretérito dia 8 de Agosto, em Vilas Ruivas, a senhora Justina Rosa, com 95 anos de idade.
Era viúva de Cristiano Ribeiro e mãe dos senhores, João Ribeiro, Joaquim Ribeiro e da senhora D.Margarida Ribeiro.
O
funeral realizou-se com grande acompanhamento para o cemitério de Vila Velha de Ródão.
Aos amigos enlutados, o nosso Jornal endereça os mais sinceros votos de pesar.

terça-feira, julho 24, 2007

Jornal Informativo nº04/2007

Na Aldeia de Vilas Ruivas
FESTAS EM HONRA DE NOSSA SENHORA DO CASTELO
As festas mais antigas e tradicionais do concelho de Vila Velha de Ródão, realizam-se já nos próximos dias 14,15 e 16 de Agosto.
São as festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo, na aldeia de Vilas Ruivas.
A festa religiosa terá lugar na Ermida de Nossa Senhora do Castelo no dia 15 de Agosto ás 17.30 Horas, onde será celebrada a Missa, seguida de Procissão.

Quanto á festa pagã, ela começa logo no dia 14 de Agosto, com animação de rua por parte das Aparelhagens Sonoras “Octávio” do Marmelal, com a Kermesse a ser inaugurada ás 10.00 Horas.
À noite, no Largo Principal da aldeia, actua o conjunto Musical “ Luís Miguel e Companhia”.

No dia 15 de Agosto, é o dia grande da festa, com a festa religiosa, mas bem cedo, a alvorada será dada pela animação de rua a cargo das Aparelhagens Sonoras “Octávio” do Marmelal.
À noite, o prestigiado conjunto musical “ PETROLUSA”, abrilhantará o tradicional baile, até ás tantas da madrugada.

Finalmente, na tarde do dia 16, terão lugar as provas desportivas, recreativas e tradicionais para os jovens da aldeia, bem assim como o grande Torneio de Sueca. À noite, o conjunto Musical Artur e Márcia, terá a seu cargo a animação do baile até ao nascer do Sol, sem antes, pelas 2.00 Horas, se conhecer a Comissão de Festas para o ano de 2008.
A Festa terá o apoio da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, Junta de Freguesia de Vila Velha de Ródão e do Jornal “O Concelho de Vila Velha de Ródão”, para além de muitas empresas do nosso concelho, que assim se juntam aos festejos mais antigos e tradicionais do concelho de Vila Velha de Ródão.
Mais uma vez se espera a presença de muitos filhos da aldeia, bem assim como de muitos rodanenses, que continuam a nutrir um grande carinho e um simbolismo muito grande pelas Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo.
As Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo vêm mantendo a sua tradição secular na aldeia de Vilas Ruivas, e desde o dia 17 de Agosto do ano passado, a Comissão de Festas de 2007, tem trabalho afincadamente para que nada falte durante os três dias de Festa, a que se acrescenta também o dia 17 de Agosto, data do 3º Aniversário do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, também faz parte integrante do programa de Festas da Aldeia, num entendimento perfeito entre a Comissão de Festas, e a Direcção da Associação, á semelhança do que aconteceu com a Comissão de Festas de 2006.
Olhando para o programa das Festas, o destaque vai obviamente para a Festa Cristã, a realizar no dia 15 de Agosto, ás 17,30 Horas, na Ermida de Nossa Senhora do Castelo, lá bem no alto da Serra.
Á semelhança de anos anteriores, espera-se muita gente nesta festa Cristã, momento único de devoção e de fé a Nossa Senhora do Castelo, padroeira da aldeia de Vilas Ruivas.


3ºAniversário do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas a 17 de Agosto
MOMENTO ALTO PARA A REUNIÃO DE TODOS OS ASSOCIADOS
No próximo dia 17 de Agosto, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas completa três anos de intensa actividade em prol da aldeia.
A Direcção da Associação, à semelhança dos anos anteriores vai organizar um almoço convívio para comemorar este aniversário, a ter lugar no largo principal da aldeia, a partir das 13.00 Horas.
Sob um preço simbólico para todos os associados, o tradicional porco no espeto vai fazer parte da ementa do almoço-convívio.
A direcção da Associação deseja que todos os associados estejam presentes para cantar os parabéns a você e que passem uma tarde excelente de grande convívio entre todos numa das aldeias mais bonitas do nosso concelho e que teima em dizer NÃO Á DESERTIFICAÇÃO DO INTERIOR.


terça-feira, junho 26, 2007

Jornal Informativo nº03/2007

III Edição da Festa da Sardinha juntou centena e meia em Vilas Ruivas
JOSÉ ROMÃO E TOMÉ DA FOZ ANIMARAM UMA BONITA FESTA
Organizada pelo Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, a 3ª edição da Festa da Sardinha, no passado dia 9 de Junho, juntou no largo principal da aldeia, cerca de centena e meia de convivas, que se deliciaram com a boa sardinha assada.
Já na sua 3ª edição, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas quiseram reviver os bons velhos tempos do acordeon, nesta festa da Sardinha. José Romão e Manuel Tomé, convidados pelos Amigos de Vilas Ruivas, não deixaram os seus créditos por mãos alheias, e demonstraram que “Velhos...são os trapos”, dando um recital de bem tocar o acórdeon, um instrumento musical sempre admirado pelas nossas gentes. Muitos dos presentes não resistiram, e quando se deu por ela, já estava um belo baile montado para final da tarde e início de noite. Pelo meio, também se cantou o fado, com os Amigos de Vilas Ruivas a mostrarem bons dotes vocais para aquele tipo de música tão adorada pelos portugueses.
O objectivo foi alcançado pelo Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, que teima em manter viva esta festa da Sardinha, sempre muito participada, embora o tempo ameaçasse chuva, mas mesmo assim, as mesas estenderam-se pelo Largo Principal da Aldeia, com os dois grandes fogareiros sempre atestados da boa sardinha, por sinal bem gostosa, e com muita saída.
Entretanto, a Associação já pensa na organização da Festa do 3º Aniversário a 17 de Agosto do corrente ano. Em consonância com a Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas vai reunir todos os seus associados, naturais e amigos da aldeia, para um almoço convívio a realizar no Largo Principal da Aldeia.


CP reforça Intercidades na Linha da Beira Baixa
RÓDÃO JÀ CONTA COM TRÊS INTERCIDADES DIÁRIOS EM CADA SENTIDO
Quando há dois anos, alguns naturais do concelho de Vila Velha de Ródão criaram uma onda de petições, para que a CP se lembrasse do Intercidades a parar na nossa estação, longe estariam de pensar, que, e para além da anuência e compreensão da Empresa nessa altura, dois anos mais tarde a mesma CP reforçasse os comboios Intercidades na Linha da Beira Baixa, e consequentemente, na nossa Estação, que serve vários concelhos.
Pois bem, a CP colocou em circulação mais um Intercidades, aumentando para três comboios rápidos diários em cada sentido.
No sentido Lisboa – Ródão, os Intercidades saem de Lisboa ás 8,18h, 13,18h e 19,18h, demorando cerca de 2h e 25m a chegar à nossa estação.
No sentido Ródão-Lisboa, os Intercidades saem ás 8,49h, 16,35h e 19,39h da nossa Estação.
Quando em alguma comunicação social e alguns meios do nosso distrito, se temia a perda do Intercidades, a CP responde com um aumento de comboios.
Esta aposta da CP em Ródão não nos admira, até porque, e tirando as cidades de Castelo Branco e Covilhã, parece-nos a ser a nossa Estação que movimenta mais passageiros, segundo as informações que recolhemos. E quando assim é, está de parabéns o concelho de Vila Velha de Ródão, e todos aqueles que ao longo de muitos anos, nunca deixaram de lutar por uma causa justa. Pena é que a CP, não tenha ninguém de serviço aos bilhetes na Estação de Ródão, já que nos obriga a deslocarmo-nos para as duas últimas carruagens, a comprar bilhete no comboio e ás vezes, a ter que mudar de lugar nas paragens seguintes por passageiros que têm esse privilégio de comprar o seu bilhete na estação. Mas, enfim...não se pode ter tudo.

Grupo de Música Popular Portuguesa sediado em Vilas Ruivas
QUINTAROLAS ACTUAM NA FEIRA DE ACTIVIDADES ECONÓMICAS A 29 DE JUNHO
O Grupo de Música Popular Portuguesa, os Quintarolas, uma banda representativa da Secção Cultural do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, vai marcar presença na XI Feira de Actividades Económicas na sede do nosso concelho, no próximo dia 29 de Junho, onde actuará a partir das 21.30 Horas, animando assim todos os visitantes com o seu vasto reportório.
Para a Direcção do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, é uma honra ver o seu Grupo Musical neste grande evento. De parabéns está toda a Associação, bem assim como o Rui Marques e Nuno Mendes que lideram a Secção Cultural da Associação e este bonito projecto que paulatinamente vai fazendo furor no nosso distrito, pela animação que o Grupo emprega nas suas actuações.
De parabéns estão também todos os elementos da banda:

Rui Marques - Voz Masculina, Cavaquinho, Harmónica
Ana Saraiva - Voz Feminina, Cavaquinho, Guitarra acústica
Ze Manel - Voz Masculina, Guitarra acústicaAntonio
Rosa - Voz Masculina, Cavaquinho, Guitarra acústica
Jorge - Tambor, Voz Masculina, Adufe, Percussão
Domingos Duarte - Voz Masculina, Baixo
Horacio - Acordeão
Nuno Mendes: Técnico de Som

Este ano o tema da Feira é dedicado ás Invasões Francesas, e a nível musical no Palco Principal do Recinto de Festas de Nossa Senhora da Alagada, vão estar Os Quinta do Bill e Paulo Gonzo, respectivamente na sexta-feira e sábado, dias 29 e 30 de Junho.


quarta-feira, maio 02, 2007

Jornal Informativo nº02/2007

Assembleia Geral no Grupo de Amigos de Vilas Ruivas
RELATÓRIO E CONTAS APROVADO POR UNANIMIDADE

Com cerca de meia centena de associados presentes e participativos, realizou-se no pretérito dia 24 de Março, a Assembleia Geral do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, onde foi apresentado, discutido e votado o Relatório e Contas do ano de 2006. A anteceder esta reunião magna da Associação, foi servido um almoço a todos os participantes na sede da Associação.
Depois do Presidente da Direcção, Jorge Manuel Cardoso, ter feito a análise e justificação das Contas , bem assim como das actividades organizadas pela Associação em 2006, procedeu-se à votação das mesmas, as quais foram aprovadas por unanimidade. Já antes, o Conselho Fiscal da Associação tinha dado o aval para a aprovação das mesmas, bem assim como da proposta de um voto de louvor pelo zelo e dedicação que a direcção da Associação tem manifestado em prol da mesma e dos sócios e população em geral.

A Associação movimentou em contas correntes durante o ano de 2006, cerca de 40 000 euros, fruto das várias iniciativas programadas e realizadas pela mesma, bem como do êxito de organização da Comissão de Festas de 2006, em Honra de Nossa Senhora do Castelo.
Nos outros assuntos da Associação, procedeu-se a uma recomposição da Direcção, e António Fernandes e João Pires Agostinho “reforçaram” o espírito da Direcção da Associação, fazendo agora parte integrante da mesma, no apoio e dedicação que, e diga-se em abono da verdade, já vinham dando ao quotidiano da mesma.

Relativamente a obras a efectuar na Associação, e mantendo esta dinâmica organizativa e participativa, talvez em 2008 se avance para as mesmas. Essas obras passam pela remodelação e melhoramentos do salão superior e pelo logradouro, onde serão construídas infra estruturas destinadas aos sócios e população da aldeia.


Firma Vibeiras será a responsável pela requalificação da Zona Envolvente ao Castelo
CÂMARA MUNICIPAL APROVA RELATÓRIO FINAL E ADJUDICA OBRA
A Câmara Muncipal de Vila Velha de Ródão já adjudicou a obra da requalificação à zona envolvente do Castelo e da Ermida de Nossa Senhora do Castelo. A firma responsável será a Vibeiras, e a adjudicação cifra-se em cerca de 150 000 euros.
Toda a zona será requalificada, num projecto que deixará orgulhosos todos os rodanenses. Depois da excelente recuperação do Castelo, que tem levado ao local milhares de pessoas, com a requalificação da zona envolvente, o local continuará a ser uma autêntica sala de visitas do nosso concelho, onde poderemos disfrutar de momentos ainda mais bem agradáveis de lazer e de convívio, para além de disfrutarmos da maravilhosa paisagem que já lá temos a nossos pés.


Convívio no Marmelal
CONVÍVIO ANUAL FOI UM ÊXITO
Uma secção de boa música de acordeon, porco assado no espeto, muitos doces regionais, muita vontade de bem servir os outros, e cerca de duas centenas de pessoas, deram um colorido diferente à aldeia do Marmelal no passado dia 24 de Março.
Um excelente convívio entre todos os naturais e amigos da aldeia que se prolongou pela noite dentro, cuja organização passou por muita gente, fez com que se passassem muito e bons momentos entre todos, de gente que apenas se vê uma vez por ano.
Estão de parabéns as gentes do Marmelal, e daqui vai um grande abraço para os meus grandes amigos Octávio e João Carlos, dois irmãos exímios na arte de bem receber. Desejamos que este tipo de iniciativas sejam repetidas por mais vezes, numa aldeia em que a sua Associação começa também a dar passos seguros rumo à congregação de esforços e de ideias em prol do desenvolvimento do Marmelal.


Grande peixada marcou a Páscoa no Grupo de Amigos de Vilas Ruivas
PÁSCOA COM SABORES REGIONAIS
Cerca de setenta convivas, sentaram-se à mesma mesa na sede do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, numa tarde de convívio em dia de Sexta-Feira Santa. Mais uma vez a Associação local organizou a Festa Convívio da Quadra Pascal, este ano, com uma Grande Peixada e com os já célebres doces regionais, tão característicos do nosso concelho. Mais uma vez, as gentes de Vilas Ruivas se reuniram para conviver entre si, o que já vem sendo habitual em dias festivos.
Após este almoço, muita gente optou por caminhar até à Ermida de Nossa Senhora do Castelo, lá bem no alto da serra, o que, em alturas da Páscoa, já vem sendo uma tradição de muitos amigos e naturais da aldeia.


Muita gente bem tentou, mas.............
POUCOS TORTULHOS PARA DESCOBRIR

Como manda a tradição na aldeia de Vilas Ruivas, nos dias que antecedem o domingo de Páscoa, muitos naturais e amigos da aldeia palmilham os campos na procura dos já célebres e tradicionais Tortulhos. Para desespero de muita gente, este não foi um ano bom para a apanha de Tortulhos. Não choveu muito e poucos nasceram, mas mesmo assim, os “mais entendidos” na matéria, lá conseguiram ainda apanhar uns tantos. Outros vieram com as mãos a abanar, mas valeu pelo passeio por muitos lugares e caminhos que circundam Vilas Ruivas.


Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo- 2007
COMISSÃO DE FESTAS JÁ TEM DELINEADO TODO O PROGRAMA
A Festa em Honra de Nossa Senhora do Castelo, a realizar em Vilas Ruivas, a 14, 15 e 16 de Agosto de 2007, já mexe. Ao que apurámos, a Comissão de Festas de 2007, já tem todo o programa delineado, e oportunamente aqui daremos conta do mesmo.
Prepara-se novamente uma grande festa, para as Festas mais antigas e tradicionais do concelho de Vila Velha de Ródão.


terça-feira, março 13, 2007

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA
CONVOCATÓRIA

De acordo com o preceituado no n.º 3 do Artº 5º dos Estatutos,
complementado com a alínea e) do n.º 3 e do nº 4, do artº 11º do
Regulamento Interno , convoco todos os Associados do Grupo de
Amigos de Vilas Ruivas, a participarem na Assembleia Geral
Ordinária, que se realiza no próximo dia 24 de Março de 2007, pelas
15.00 Horas
, na Sede Social da Associação, sita na Rua Principal, n.º 2,
em Vilas Ruivas, com a seguinte ordem de trabalhos:

1 – Apresentação, discussão e aprovação do Relatório e Contas do
ano de 2006, e o Parecer do Conselho Fiscal.
2 – Apresentação, Discussão e aprovação da recomposição de cargos
da Direcção da Associação, sob proposta da própria Direcção.
3 - Outros Assuntos de interesse para a Associação





sexta-feira, março 09, 2007

Edição de 2007 dos Trilhos da Açafa - BTT

11 de Março de 2007

HORÁRIO :
Concentração: Campo de Feira de Vila Velha de Ródão.
Secretariado:
7.30 H – Confirmação e pagamento de inscrições.
Horários:
8.30 - Encerramento do secretariado e briefing
8.45 – Troço de ligação até aos bombeiros
9:00 – Partida real (Quartel dos Bombeiros)
Almoço: 14.00 – 16.30 (exibição de fotos do passeio e sorteio de material de BTT)


Percurso Altimetria Regulamento e ficha de inscrição

O grupo de BTT

"começou por ser um grupo de amigos que se juntava para dar umas voltas de bicicleta e hoje, passado ano e meio, constituiu-se como uma secção do Grupo Desportivo dos Bombeiros Voluntários de Vila Velha de Ródão.
Fruto dos passeios domingueiros que se iniciam invariavelmente com a concentração junto ao estádio municipal de Vila Velha de Ródão, decidiu partilhar com outros entusiastas da BTT os trilhos da terra e começou a promover, anualmente, o passeio "Trilhos da Açafa", cuja primeira edição se realizou em 2006 com assinalável sucesso."

Mais Informações: http://gdbombeiros.btt.googlepages.com/

Contactos: gdbombeiros.btt@gmail.com - Tlm: A. Pequito 962893920

terça-feira, março 06, 2007

Rallye Portas de Ródão

Mais uma vez a Aldeia de Vilas Ruivas é inserida no percurso do Rallye Portas de Ródão.

Informações:

Onde Ver»»

Mapa do Percurso»»





Escuderia Castelo BrancoTelef.: 351-272327979
E-mail: escuderiaescuderia@clix.pt
Praça Rainha D.Leonor, 36000-117 Castelo Branco Portugal

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Jornal Informativo nº01/2007

Entrada no novo ano com festa rija
VILAS RUIVAS ENGALANOU-SE


Após a fundação do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, e pelo terceiro ano consecutivo, a sede social da Associação local esgotou para dar as boas vindas ao ano novo e “enxotar” o ano velho. Cerca de oito dezenas de convivas deram um enorme colorido à grande festa, que se prolongou pela noite dentro, até ao raiar do novo dia.

Às 19:30 Horas em ponto, começou por ser servido o jantar, uma “bacalhauzada” na brasa com batatas a murro, que deixou água na boca a todos os presentes.
Depois das sobremesas e dos cafés, o DJ de serviço, “Nuno Mouse Mendes”, abriu o grande baile, e com muita animação, todos dançaram ao som do vasto reportório até á chegada do ano novo.
À meia noite em ponto, tempo para abrir o champanhe, com as tradicionais doze passas para doze desejos ao ano novo, no Largo Principal da aldeia, ao calor de uma grande fogueira, que já durava desde o Natal.
Seguiu-se a ceia, com o tradicional Leitão de Negrais, carnes frias, caldo verde, e uma panóplia de doces e fruta para aconchegar o estômago para o resto da noite.

No cômputo geral, esta organização do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, saldou-se por mais um rotundo êxito, graças à dedicação das gentes da aldeia, nomeadamente ás senhoras, que se aprumaram para que nada faltasse na grande festa, bem assim a todos aqueles que ajudaram o senhor João Albino António, a levar por diante mais esta grande festa.

Está assim de parabéns o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas por mais esta organização, conseguindo os seus intentos, em proporcionar momentos de grande convívio entre os associados, naturais e amigos da aldeia.

Continuamos a não compreender a fuga para os grandes centros
NATAL: PORQUE NÃO ESCOLHER AS NOSSAS ALDEIAS ?


Por mais do que uma vez temos feito referência á quadra natalícia nas nossas aldeias. Pensamos que essa quadra tem mais encanto, quando passada nas nossas aldeias, junto á nossa família, ás nossas gentes e aos nossos amigos. È essa a tradição de sempre. São esses os costumes da maioria dos rodanenses.

Infelizmente, este ano, vimos as nossas aldeias mais despidas de gente. Este fenómeno tem acontecido nos últimos anos, e parece-nos que as tradições, afinal, já não são o que eram.
Durante os dias 23 e 24 de Dezembro, vimos muita gente a sair das aldeias, rumo aos grandes centros para passar o Natal junto com os filhos e netos. Existe aqui uma inversão nas tradições que sempre caracterizaram as nossas gentes. Foi com enorme tristeza que vimos gente já idosa, a apanhar comboios, para os grandes centros. Um fenómeno que não tem explicação, já que, do nosso ponto de vista, as coisas estão viradas ao contrário.

Não compreendemos esta nova situação, até porque, se a justificação são as condições mais “luxuosas” que os grandes centros oferecem, essa tese cai por terra. E cai por terra, porque, e tomando o exemplo da aldeia de Vilas Ruivas, a aldeia tem desenvolvido imenso a nível de infraestrturas, como a construção e reconstrução de imóveis, com a finalidade de criar um bem estar e todas as condições necessárias para uma boa qualidade de vida. Ninguém duvide, que as nossas aldeias, já não são mais, aquelas aldeias cinzentas que caracterizaram os anos sessenta e setenta. Não se compreende como é que são feitos grandes investimentos nesse âmbito, quando, e depois, essas infraestruturas não são plenamente aproveitadas para estas festas de família .

Como não compreendemos pessoas idosas, algumas mesmo, contra a sua vontade, de fazerem viagens longas, não adequadas á saúde de muitas dessas pessoas. Seria mais fácil o inverso, de serem os filhos a regressarem ás origens, como sempre o fizeram a alguns anos atrás. Este facto foi amplamente discutido face à estranheza de vermos pouca gente nas nossas aldeias. Na quadra natalícia. Falou-se até num comodismo latente, ou muito simplesmente, como nos avançavam alguns idosos: “ nós não queríamos ir para lá, mas como eles também não querem vir cá, só nos resta mesmo fazer-lhes a vontade e irmos de comboio lá abaixo passar o Natal com eles”. Situações que não se compreendem.

É claro que existem excepções, e cada caso é um caso. Mas na maioria, fica por explicar estas alterações aos hábitos e tradições das nossas gentes.
Continuamos a dizer que estas quadras festivas têm mais encanto e mais sabor nas nossas aldeias. Porque assim mandam as tradições, e porque sempre foi assim. Infelizmente nos últimos anos, esses valores estão a desaparecer, deixando as nossas aldeias um pouco mais tristes.
Esperamos sinceramente que, e todos aqueles que possam ler este artigo, reflictam um bocado, e façam uma viragem de 180º ao que têm feito ( se for o caso ! ), nestes últimos anos. Podem já começar pela próxima quadra Pascal.

Obras de requalificação da zona envolvente ao Castelo e Ermida de Nossa Senhora do Castelo
UMA GRANDE APOSTA DA CÂMARA MUNICIPAL RODANENSE PARA 2007.


Depois das obras de recuperação do Castelo, e do consequente êxito que tais obras provocaram junto de todos os rodanenses e dos turistas que nos visitam, a Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão está a ultimar todo o processo legal e necessário à requalificação da zona envolvente ao Castelo e Ermida de Nossa Senhora do Castelo. Um processo, que, e ao que conseguimos apurar, está para muito breve, já que o processo dos concursos públicos para a adjudicação da obra, está praticamente concluída.

É sem sombra de dúvidas, uma das grandes apostas da edilidade para o presente ano, sabendo-se que, e após as obras, o local vai apresentar uma nova face e uma nova dignidade, e vai certamente deslumbrar todos aqueles que tanto esperaram pelas mesmas.
Ao longo destes anos, muitos foram os rodanenses que se manifestaram publicamente, pela necessidade urgente de requalificar aquele local, já que o mesmo, é sem sombra de dúvidas, um dos ex-líbris do nosso concelho. O estado lastimoso em que aquela zona e a degradação em que próprio Castelo se encontravam não lembrava o diabo. Um monumento histórico como aquele, e que teve papel preponderante na história militar de Portugal ao longo de séculos, não merecia ser votado ao abandono como aconteceu ao longo de muitos anos.

Diga-se em abono da verdade, que o actual executivo camarário, teve a coragem de dar um passo em frente, após a sensibilização para essa necessidade de se proceder ao avanço das obras. Desde a primeira hora, e há esse mérito, que o actual executivo camarário teve a preocupação de fazer algo em prol daquela zona. A essas preocupações teremos que tirar o chapéu e a devida vénia ao actual executivo. A primeira aposta foi claramente ganha. A recuperação do Castelo teve repercussões positivas no imediato, atendo ao facto de o local ser agora um ponto de romarias por parte, não só de rodanenses, mas também de muitos turistas que nos visitam, que com máquinas de filmar e máquinas fotográficas têm desfrutado das maravilhas paisagísticas do local. E não têm sido tão poucos como o caro leitor possa imaginar.

Têm sido centenas, senão milhares a palmilhar a serra, de encontro a um lugar paradisíaco que faz parte integrante da história do nosso concelho. Uma vista deslumbrante, numa tranquilidade ímpar e apetecível para quem gosta da natureza no seu estado mais puro. Estamos certos, que a nossa edilidade poderá tirar dividendos muito positivos desta intervenção, face ao plano de intervenção e de aproveitamento turístico a tirar daquela zona.
Recordamos as Festas Religiosas em Honra de Nossa Senhora do Castelo em 15 de Agosto de 2006. Centena e meia de veículos estavam estacionados, não só nas imediações da Capela, como ao longo de todo o caminho de acesso ao local, numa das festas religiosas mais participadas dos últimos anos.

A Presidente da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, Dra Maria do Carmo Sequeira, presente no local, teve oportunidade de, “in loco”, verificar que efectivamente o espaço destinado a estacionamentos é diminuto. Como teve oportunidade de referir, que muita coisa teria que ser alterada face a tanto movimento verificado. Esperamos que a Presidente da nossa edilidade, tenha em consideração a abertura de mais espaços destinados a estacionamentos face ao que assistiu naquele dia. Por outro lado, louvamos as suas preocupações, na certeza de que, para além de existir a possibilidade de aumentar o número de estacionamentos, exista também uma preocupação em relação á segurança no local.

É que, se inadvertidamente, alguém se descuidar com uma ponta de cigarro ou de brasas de eventuais piqueniques, em caso de incêndio, aquela zona ficará isolada, e poderemos eventualmente assistir a uma possível tragédia, que ninguém deseja, tendo em consideração que as hipóteses de fuga são quase nulas, atendendo ao facto, que a estrada de entrada é a mesma da saída.
São na realidade, algumas das preocupações de quem conhece aquele local em todas as suas vertentes.
Mas independentemente destas considerações, que não são mais do que um alerta, não existe dúvida alguma, que as obras vão ser feitas, para gáudio de todos aqueles que ao longo destes anos se preocuparam com um dos locais considerados ex-líbris do nosso concelho.

Será possível uma Estrada de Ligação ?
CASTELO E ERMIDA NOSSA SENHORA DO CASTELO- PENEDO GORDO ?


O nosso conterrâneo, José Manuel Esteves, de Queluz, sempre atento ao que se vai passando no nosso concelho, teve a delicadeza de me enviar um e-mail, procurando saber, qual a possibilidade de, e ao mesmo tempo, como ele diz , “matarmos dois coelhos com uma cajadada” a nível turístico.

Refere no seu e-mail, “que teve a oportunidade de visitar o Castelo recentemente, e que ficou maravilhado e muito feliz com o que viu, dando a hipótese de, e para que os turistas não sejam “obrigados” a descer novamente até Vila Velha de Ródão e subir até ao Gavião para visitarem o Penedo Gordo, de existir uma possível estrada de ligação directa, desde a estrada das Vilas Ruivas ( Alto da Serra), à saída da estrada de acesso ao Castelo, até ao Penedo Gordo, viajando pelo meio da serra, pois acha que tal é possível, como lhe disseram algumas pessoas que conhecem bem a zona”. Sinceramente não conheço suficientemente o local para me pronunciar, mas já me confirmaram que tal é possível, embora isso acarrete um forte investimento face aos cerca de quatro quilómetros de distância.
No entanto, e porque o e-mail me foi enviado com possibilidade de publicação, aqui deixo o conteúdo, do nosso conterrâneo, e dessas suas dúvidas sobre o assunto que refere no seu e-mail.




quarta-feira, janeiro 17, 2007

Jornal Informativo nº09/2006

UMA HISTÓRIA DE NATAL
A noite de Natal é noite de consoada e manda a tradição nas aldeias do nosso concelho, que no largo maior da povoação se faça uma fogueira, que dure toda a noite e se prolongue pelo dia adiante.
Depois da couvada com bacalhau bem regada com o azeite novo, na casa de cada um, vão todos para junto da fogueira, assam-se algumas castanhas, espetam-se uns pedaços de carne e o bom fumeiro, vai-se até às adegas petiscar o bom presunto e prova-se o vinho.
A rapaziada mais jovem aproveita para saltar a fogueira, algumas vezes com incidentes pelo meio.
Já alta noite puxam-se das guitarras e violas e mostra-se quem tem a garganta afinada.
Já lá vão umas dezenas de anos!... Naquele Natal tudo foi ainda melhor. Já de madrugada fizemos uma ruada, e, malvadez nossa acordamos toda a povoação.
Vêm mais uns petiscos que fomos grelhando na fogueira, a qual se ia entretanto apagando!...
Existia um castanheiro ao Chão , certamente mais velho que a fundação da nossa Terra.
Aquele castanheiro tal como todos os seres vivos tinha morrido, mas lá se mantinha de pé em equilíbrio estável.
Se ele pudesse falar quantas histórias teria para nos contar: o tirar dos ninhos, o roubar as suas castanhas, o espreitar dos primeiros beijos etc. etc. Bem... Mas o castanheiro estava morto, e, como tal já não via mais nenhuma das histórias das suas gentes.
Ao dito castanheiro já havia alguns anos que o tínhamos condenado, mas ele era de uma imponência tal, que ninguém se atrevia a ir buscá-lo.
Naquela santa madrugada a fogueira estava a apagar-se e já não aquecia!...
O nosso avô era conhecido pelo TI Joaquim , logo, os netos tinham que fazer algo que desse continuidade à sua conhecida valentia (Deus sabe quando o admirávamos e respeitávamos) e ficássemos assim também para a posteridade.
Lá fomos falar com o dono do castanheiro, que se mostrou logo disponível para o oferecer mas duvidando que o conseguíssemos trazer.
O ti Zé Ferreiro foi logo dizendo, "ó primos levamos umas velas e dinamite, que ele vem por aí abaixo feito em fanicos. Tal solução era impensável por ser violenta.
Mãos à obra, aí vai a rapaziada serra acima!... Lá arrastamos o castanheiro para o caminho, e, já o Sol raiava quando conseguimos a proeza de o azorrar serra abaixo até à nossa Terra, por entre a alegria e vivas dos nossos amigos e familiares.
Aquele tronco de castanheiro velho e carcomido foi lançado para aquela fogueira de Natal, ardeu e aqueceu durante três ou quatro dias toda a gente
Aquele dia de Natal bem quentinho, aqueceu corpos e corações da nossa gente e ficou de tal modo memorável a nossa façanha, que ainda hoje perdura na lembrança de todos nós.

Armindo Martins Antunes


O NATAL TEM MAIS ENCANTO NAS NOSSAS ALDEIAS
RECUPERAR VELHAS TRADIÇÕES




O movimento associativo, que persiste em continuar e a desenvolver o nosso concelho, sob o apio importante das nossas forças autárquicas, é uma parte importante e uma voz activa para a recuperação de velhas tradições perdidas. Recuperar as velhas tradições de Natal, tem sido um propósito e um objectivo fundamental do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas. Chamar até á aldeia todos aqueles, que por um ou outro motivo, passavam o Natal fora dela, tem sido um dos principais objectivos daquela Associação. Nestes dois últimos anos, já muito foi feito. Muito ainda há para fazer ! Não há muito tempo atrás, era triste passearmos nas ruas, ruelas e caminhos de Vilas Ruivas, e observarmos um quase completo vazio de gentes, de crianças, de naturais e amigos da aldeia. A grande fogueira de Natal, eram mais as vezes que não se realizava. Porque não existia gente suficiente para palmilhar serras e caminhos na procura de madeiros. Porque os mais idosos, não se opunham a tal tarefa, porque, para além da idade, pairava-lhes no rosto, alguma tristeza de verem a família longe da terra, nesta quadra tão importante para as nossas gentes, para as nossas aldeias.
Esta situação, a pouco e pouco está a mudar! O lema da Associação é de chamar todos os naturais e amigos da aldeia, para connosco passarem esta quadra natalícia. Um trabalho árduo, mas que, e felizmente tem surtido efeitos, para o bem das nossas tradições, da nossa cultura e da nossa história.
Neste Natal de 2006, a Direcção da Associação, deseja que, e mais uma vez, todos correspondam ao pedido de se deslocarem até á nossa aldeia, passar o Natal em família e com os amigos. Tudo se conjuga para que isso volte a acontecer. È esse o papel do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas. Ser uma voz activa na defesa intransigente das nossas velhas tradições.
A já tradicional fogueira de Natal volta a realizar-se. Espera-se que com a participação de muita gente. Para dar mais vida e mais colorido ás ruas, ruelas e caminhos de Vilas Ruivas.
Um Feliz e Santo Natal são os desejos da Direcção do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, a todos os associados, naturais e amigos de Vilas Ruivas, bem assim como a todos os rodanenses que compartilham connosco estes ideais tradicionalistas.


FESTA DE PASSAGEM DE ANO EM VILAS RUIVAS
COM SALA PRATICAMENTE CHEIA




Á semelhança dos dois últimos anos, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas volta a organizar a sua Festa de Passagem de Ano, aberta exclusivamente a associados e seus familiares, naturais e amigos da aldeia.
A poucos dias de entrarmos no Ano Novo, as inscrições para a Festa de Passagem de Ano continuam a bom ritmo, e tal como aconteceu nas duas últimas edições, espera-se novamente casa cheia para a grande noite. Quase de uma centena de associados, vão assim festejar a chegada do Ano Novo em pleno Largo Principal de Vilas Ruivas, quando derem as doze badaladas, ao sabor das doze passas, e dos doze desejos, como manda a tradição.
Embora as condições ainda não sejam as desejadas, pois faltam as obras do piso superior, a Associação congratula-se por mais esta forte adesão de todos aqueles que desejam festejar na nossa Aldeia, em detrimento dos grandes centros urbanos, onde nem sempre a qualidade e as tradições são apropriadas a esta época. Um farto jantar e respectiva ceia, ao som de muita música (DJ´s Mouse e Kacilda) são ingredientes suficientes para uma noite repleta de êxito, de muita alegria e boa disposição, graças ao trabalho, sempre afincado e superiormente preparado pela Direcção da Associação, e também pelas senhoras da aldeia, que não têm olhado a meios para que tudo corra pelo melhor nessa grande noite.

ASSOCIAÇÕES DO NOSSO CONCELHO EM GRANDE
NAS MAIS VARIADAS ORGANIZAÇÕES E INICIATIVAS

É sempre com muita satisfação, que observamos as diversas organizações e iniciativas promovidas pelas nossas Associações. Pelo menos aquelas que se mantêm no activo, e com forte dinamização na sempre procura do bem estar social e cultural das nossas gentes.
Como se costuma dizer, são poucas mas boas, e é com muita alegria que vamos tendo conhecimento de muitas iniciativas e organizações que vão promovendo. Nesta altura do ano, elas aí estão mais uma vez, a organizar eventos natalícios e festas de passagem de ano. Por exemplo, é com grande alegria que vejo novamente a “nossa Sociedade do Tejo “, como era carinhosamente tratada, a desenvolver novamente um rol de iniciativas válidas aos seus associados. Como o Núcleo Benfiquista de Vila Velha de Ródão, que tem cativado a estima de todos, com as suas diversas iniciativas promovidas ao longo do ano, através da sua Direcção, e nesse grande impulsionador, Francisco Ribeiro, homem de causas rodanenses, e que tem feito um exemplar trabalho no nosso concelho.
Não nos podemos esquecer do GAFOZ- Grupo de Amigos da Foz do Cobrão, nessa obra ímpar de quarenta anos dedicados a uma causa nobre e que muita alegria nos tem dado. Não podíamos, de maneira nenhuma, nos esquecermos de enviar a Octávio Catarino e á sua Direcção, Corpos Sociais, Associados e População da Foz, os nossos sinceros parabéns pela passagem deste 40º aniversário. Uma Associação modelo, na Aldeia Presépio do concelho de Vila Velha de Ródão.
Para todas as nossas Associações, os nossos mais sinceros agradecimentos e parabéns pelo trabalho que vão desenvolvendo em prol do nosso concelho.




G.A.V.R.
GRUPO DE AMIGOS DE VILAS RUIVAS
Fundado a 17 de Agosto de 2004.
NIPC: 507163168
Rua Principal, n.º 2 – Vilas Ruivas 6030 Vila Velha de Ródão

Deseja a todos os seus associados, naturais e amigos da Aldeia de Vilas Ruivas, com votos extensivos a todos os rodanenses de alma e coração, um Feliz e Santo Natal, e um Próspero Ano de 2007.
A Direcção do GAVR
( Jorge Manuel Gonçalves Cardoso )



Vem aí um Novo Ano...
VILAS RUIVAS TEIMA EM PROCURAR O DESENVOLVIMENTO.

A aldeia de Vilas Ruivas, é das aldeias do nosso concelho, onde se tem apostado mais na reconstrução e construção de imóveis nestes últimos anos. Não é mais aquela aldeia de cores cinzentas. È uma aldeia onde impera a cor e o dinamismo de muitas das suas gentes. Devido a esse dinamismo, é das aldeias mais típicas do nosso concelho, nessas ruas e ruelas, nesses caminhos que, e por vezes, nos conduzem a sítios mais inesperados, onde nunca estivémos antes.
Mas como todas as aldeias rodanenses, procura no seu dia a dia, melhores condições para todos os que a visitam, e que felizmente, têm sido muitos nos últimos tempos. Um facto a que não é alheio, a reconstrução do Castelo do Rei Wamba, onde muitos turistas aproveitam para dar um salto á aldeia e passearem-se nessas ruas e ruelas, tomando um delicioso café na Associação local.
No entanto, tal como muitas aldeias do nosso concelho, tem alguns problemas que urgem em se resolver a contento de todos.
O problema das entradas e saídas tem sido um dos verdadeiros calcanhares de Aquiles. Tudo passa pelo arranjo definitivo da entrada/saída sul, uma obra que os seus habitantes esperam ver em breve concretizada.
O problema da água que se consome durante o Verão, é outra das tormentas da população.
O alcatroamento definitivo da estrada que liga Vilas Ruivas á zona sul das Portas de Ródão, é outro dos desejos antigos. Não só para a população, mas para as centenas de turistas que, e constantemente se aventuram pela estrada actual, muitos desistindo logo que entram nessa mesma estrada, com receio de eventuais danos materiais nos automóveis.
Por isso, os desejos daquela gente, é que o ano de 2007, traga estas e muitas mais obras prementes para o desenvolvimento de Vilas Ruivas.

FALECIMENTO
É com muita tristeza e profunda dor, que vimos desaparecer do mundo dos vivos, a D. Maria Pires Gonçalves, de 83 anos, de Vilas Ruivas, víuva do saudoso Sr Abel Pires Carmona, e mãe de Otília Pires Carmona.
O falecimento ocorreu no Hospital Amadora-Sintra, e o funeral realizou-se para o cemitério de Queluz.
Nesta data de profunda tristeza, endereçamos à D. Otília e a todos os familiares, os nossos mais sentidos pêsames e condolências, por tão piedoso acto.