quinta-feira, dezembro 27, 2007

CHAMA-SE RICARDO E É O MAIS NOVO HABITANTE DE VILAS RUIVAS

È para nós, naturais de Vilas Ruivas, sinónimo de grande alegria ver nascer na nossa aldeia um bébé.

Começa a ser caso raro nas nossas aldeias, mas o que é certo é que Vilas Ruivas tem um novo habitante.

Chama-se Ricardo, nasceu em 10 de Outubro, e é filho de Henrique Jorge e de Ana Cristina, o jovem casal que vive na nossa aldeia.

Foi com muita alegria que agora vimos o bébé e lhe tirámos a fotografia da praxe. E que tão lindo que ele é...com olhos azuis...uma beleza.


(Ricardo, o mais jovem e mimado habitante da aldeia de Vilas Ruivas. E que bonito que ele é !!! )


Neste momento de tão grande alegria, não podemos deixar de endereçar ao jovem casal os nossos sinceros parabéns pelo nascimento do Ricardo, e que a saúde e a alegria no lar com este mimo, seja eterna.

Vilas Ruivas está assim mais rica. Parabéns Henrique Jorge e Ana Cristina pelo vosso rebento. È lindo!.

Jorge Manuel Cardoso

PASSAGEM DE ANO 2007-2008 EM VILAS RUIVAS

À semelhança dos anos anteriores, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas vai levar a efeito a realização da Passagem de Ano 2007-2008.

A grande festa tem o seu início às 20.00 Horas do dia 31 de Dezembro, com um farto jantar para todos aqueles sócios, familiares e naturais da aldeia, que se inscreveram até ao dia 25 de Dezembro.

Na ementa, o já tradicional bacalhau assado na brasa, o Leitão assado, o Caldo Verde, os doces regionais, as passas de uva, o champanhe entre muitos outros pratos que serão servidos ao longo da noite.

Para além destas guloseimas, o grande baile para a noite inteira, com um DJ preparado para animar todos os presentes.




( Passagem de ano 2007-2008 em Vilas Ruivas. O reviver de bons velhos tempos, num excelente trabalho feito em prol da comunidade pelo Grupo de Amigos de Vilas Ruivas)


Uma festa que promete no Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, que teima em manter bem acesa a chama do convívio entre todos os sócios, familiares e naturais da aldeia de Vilas Ruivas.


( Festa de Passagem de Ano em Vilas Ruivas é sinónimo de grande alegria e de saudável convívio entre todos os naturais da aldeia )


Vamos desejar a todos, um BOM E FELIZ ANO DE 2008 !


Jorge Manuel Cardoso

...E JÁ SE PASSOU MAIS UM NATAL....NA ALDEIA

Não foram muitas, mas foram algumas. Famílias inteiras rumaram a Vilas Ruivas para ali passar o Natal em Família. Um Natal na aldeia, com sabor diferente, onde os valores tradicionais e culturais teimam em se manter, muito por fruto do trabalho exemplar do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, em prol da aldeia, e nessa tentativa de fazer submergir todos esses nossos valores.

Com a colaboração da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão - o nosso muito obrigado ao Vice-Presidente Luís Pereira - , realizou-se uma vez mais a Festa do Madeiro, com a realização da Fogueira de Natal no Largo Principal da Aldeia.

Com a Associação aberta durante a noite, não faltou o bom café quente, a boa chouriça assada na brasa, e grandes momentos de convívio entre todos. À meia noite foi a hora da distribuição das prendas, e depois disso, muitos voltaram ao Largo da Aldeia, junto à fogueira, onde se relembraram histórias antigas, dos nossos antepassados. Daquelas histórias, que embora algumas sejam repetidas, todos gostam de ouvir e de recordar com muita saudade.

Nesta quadra natalícia, a Associação foi o ponto de encontro de muitos convivas. Ali se jogaram alguns jogos tradicionais da nossa aldeia. Daqueles jogos que só se jogam mesmo...na nossa aldeia.

Outros aproveitaram para, e durante o dia, se deslocarem até ao Alto da Serra para visitarem as obras de requalificação do nosso Castelo e de toda a zona envolvente.


(Zona do Castelo e Ermida de Nossa Senhora do Castelo foi ponto de romaria nesta quadra Natalícia para centenas de pessoas)


A este propósito, registe-se as centenas e centenas de veículos que se deslocaram para aquele local paradisíaco do nosso concelho.

Em suma, uma quadra natalícia passada na nossa aldeia, com a cozinha tradicional da época, com os doces regionais a fazerem a delícia de todos, com particular destaque para as tijeladas e para as célebres e apetitosas filhós.


( As saborosas Tijeladas foram as rainhas deste Natal na Aldeia de Vilas Ruivas )


Uma vez mais, muitos habitantes e naturais de Vilas Ruivas teimam em manter bem acesas as nossas tradições, os nossos costumes, a nossa história.

A todos aqueles que participaram nesta quadra festiva e se juntaram às várias iniciativas realizadas, o nosso muito obrigado, e para o próximo ano, lá estaremos novamente.

Jorge Manuel Cardoso

segunda-feira, dezembro 17, 2007

GRUPO DE AMIGOS DE VILAS RUIVAS LEVA A EFEITO A SUA JÁ HABITUAL FESTA DE PASSAGEM DE ANO


Mais um ano que se aproxima do seu final, e como é natural nestas alturas, começa-se a pensar na grande noite de Passagem-de-Ano.

Á semelhança de anos anteriores, o Grupo de Amigos de Vilas Ruivas (GAVR) vai levar a efeito a sua já habitual festa de Passagem de Ano, exclusivamente destinada aos seus associados e respectivos familiares, bem assim como a naturais da aldeia de Vilas Ruivas.

Para o efeito, já se encontram abertas as inscrições na sede social da nossa Associação para a Festa de Passagem de Ano na nossa Aldeia.

Sabemos que o dia 31 de Dezembro é dia de trabalho para muitos que se encontram fora do concelho, mas apelamos que com um "bocadinho de esforço" consigam estar presentes na nossa Festa de Passagem de Ano.


CONTAMOS COM TODOS VÓS NAS VILAS RUIVAS


QUADRA NATALÍCIA COM SABOR É NA NOSSA ALDEIA.


È um facto indesmentível, que de ano para ano, cada vez menos naturais da nossa aldeia passam os Festejos de Natal em Vilas Ruivas.

E não devia ser assim. Outrora uma aldeia animada de muita juventude nos festejos natalícios, que palmilhavam serras e caminhos à procura de grandes madeiros para a grande fogueira de Natal que se fazia ( e ainda teima em se fazer !) no Largo da Aldeia, está hoje reduzida a meia dúzia de jovens ou de "menos velhos", que teimam em manter viva essa tradição.

E a nossa aldeia, as nossas casinhas que ainda lá temos, as nossas ruas, os nossos caminhos, os nossos cabeços, o nosso Castelo, a nossa Ermida, as nossas gentes são tão belas e afáveis, que não mereciam que lhes estejamos a fazer uma coisa destas, não passando a quadra natalícia com eles.





O Natal tradicional é na nossa aldeia. Foi assim que nos habituámos em pequenos. Porque é que agora tudo não é assim ?

Porquê teimar em ficar nos grandes centros urbanos ?

Porquê uma deslocação a Vilas Ruivas em vésperas de Natal, com o intuito de ir buscar a família para os grandes centros e aí passar a quadra Natalícia. Porque não o contrário ? Tirar os nossos "velhinhos" da nossa aldeia nestas alturas, é cometer um crime cultural e tradicional. Eles que sempre estiveram habituados a preparar tudo com bom gosto para o grande dia nas suas casinhas! E agora tiram-nos de lá para os trazer para Lisboa e arredores?




O bacalhau, o perú e outras iguarias tradicionais desta época têm mais sabor junto às nossas tradicionais lareiras, na nossa querida aldeia que nos viu nascer, e pela qual temos um carinho tão grande. Esquecê-la nesta altura é um CRIME e uma falta de respeito pelos nossos valores culturais e tradicionais.

Apelamos a todos os naturais da nossa aldeia que invertam estes procedimentos e que voltem a dar colorido a Vilas Ruivas.

Que cumpram novamente com as tradições seculares dos nossos antepassados, palmilhando serras, cabeços e caminhos, na procura de grandes madeiros e lenha para a Fogueira de Natal no Largo Principal da nossa Aldeia.

Não podemos deixar morrer as tradições das nossas gentes. Este apelo tem forçosamente que mexer com todos nós, aqueles que "ainda" amam e zelam pela sua aldeia, pelo lugar onde nasceu, conviveu, aprendeu a ser mulher e homem.

Por isso vos digo:

NATAL É NA NOSSA ALDEIA.

VAMOS REVIVER E TRAZER DE VOLTA AS NOSSAS TRADIÇÕES E AS NOSSAS RAÍZES.

PORQUE AMAMOS E DEVEMOS CONTINUAR A AMAR A NOSSA TERRA QUE NOS VIU NASCER !



E que tal fazermos novamente uma grande fogueira de Natal no Largo da Aldeia ?

Recordo-vos como é na foto abaixo.

Vamos lá. Peguem na família e vamos até Vilas Ruivas.






Jorge Manuel Cardoso