quinta-feira, outubro 23, 2008

MAGUSTO CONVÍVIO REALIZA-SE A 8 DE NOVEMBRO

Grupo de Amigos de Vilas Ruivas organiza V Magusto no próximo dia 8
CASTANHA ASSADA E BOA ÁGUA PÉ EM JORNADA DE CONVÍVIO


O Grupo de Amigos de Vilas Ruivas vai levar a efeito no próximo dia 8 de Novembro, a partir das 16 Horas, a 5ª Edição do Magusto da Aldeia.
Recorde-se que foi durante a I Edição, em 2004, que se avançou para a legalização da Associação da aldeia, depois da sua fundação em 17 de Agosto de 2004.

Um Magusto que servirá também para uma boa jornada de convívio entre todos os associados, naturais e amigos da aldeia de Vilas Ruivas, sendo esse o desejo da actual Direcção presidida por Jorge Manuel Cardoso.
Assim no próximo dia 08 de Novembro, a boa castanha assada e a boa água pé marcarão presença no Largo Principal da Aldeia.


DONATIVOS PARA A 2ª FASE DAS OBRAS DA SEDE SOCIAL DO GRUPO DE AMIGOS DE VILAS RUIVAS.


Continuam a surgir na sede social da Associação mais donativos tendo em vista a 2ª Fase das obras que se iniciarão brevemente, e que passam pela requalificação do 2º Piso da Sede bem assim como a construção de infra-estruturas comunitárias no logradouro anexo. Obras que darão uma nova face e um novo dinamismo à Associação da aldeia.

O lema desta direcção, e segundo nos confidenciou o Presidente da Direcção, Jorge Manuel Cardoso, “ se há dinheiro…construam-se infra estruturas que possam beneficiar o povo da aldeia “. Nestas infra-estruturas estão previstas a construção de um terraço de convívio e também a de um forno e churrasqueira comunitárias.
Relativamente aos donativos, chegaram até à sede da Associação mais apoios dos associados:

Joaquim Carmona: 200,00€
Maria de Fátima Esteves: 250,00€
Manuel Tomé: 100,00€


A Direcção do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas deseja que os associados continuem a participar nesta angariação de donativos, pois será possível sempre introduzir e colocar de pé novas infra-estruturas a favor da comunidade de acordo com as verbas disponíveis.


DIA 08 DE NOVEMBRO PELAS 14,30H, PREPARAÇÃO DAS ELEIÇÕES
GRUPO DE AMIGOS DE VILAS RUIVAS EM ASSEMBLEIA GERAL


Realiza-se no próximo dia 8 de Novembro, pelas 14,30H, na Sede Social do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas, uma Assembleia Geral Extraordinária que tem como ponto forte dos trabalhos, os actos preparativos para as eleições dos novos corpos sociais da Associação, que se deverão realizar até ao final do presente ano.

Para o Presidente da Direcção, Jorge Manuel Cardoso, “ é importante que os associados compareçam nesta Assembleia Geral, porque em causa está o futuro da nossa Associação e é necessário encontrarem-se plataformas de soluções e entendimentos para se prosseguir com a obra até agora feita. De maneira nenhuma podemos deixar “fechar” as portas da Associação, pois existe gente válida que pode tomar conta dos destinos do Grupo de Amigos de Vilas Ruivas para os próximos quatro anos”, adiantou.


Sobre uma possível recandidatura desta Direcção a novo mandato de quatro anos, Jorge Manuel Cardoso acrescenta que “ essa possibilidade para já está posta de parte. Ao longo destes quatro anos, toda a Direcção trabalhou em prol dos associados e da aldeia com organizações e eventos que foram autênticos êxitos dentro do nosso concelho. Conseguimos mobilizar muita gente durante todo este tempo, mas há uma coisa importante, é que aqueles que tomaram conta da Associação em 2004, estão hoje quatro anos mais velhos, e a idade vai pesando”, rematou.


Sobre a obra feita, o presidente do GAVR adianta que “ ela está à vista de todos, e brevemente vamos concluir a 2ª Fase dessas obras para as quais estamos empenhados em arranjar as verbas necessárias para a realização das mesmas, ficando assim o projecto desta Direcção concluído, que passava precisamente pelas obras de requalificação da sede social do GAVR, um edifício já muito antigo, mas com óptimo espaço para a realização dos fins e objectivos a que esta direcção se propôs para estes quatro anos.


Para além das obras no 2º piso, o logradouro vai ser também alvo de uma intervenção importante no intuito de dar mais condições aos associados e população da aldeia, sobretudo em espaço de convívio e de infra estruturas de apoio comunitárias. Estamos satisfeitos com a obra feita e com a forte mobilização que os associados e população sempre deram a esta Direcção na organização de eventos e na colaboração prestada. Isso eu agradeço a todos, pois sem essa preciosa ajuda, nada disto teria sido possível.”, acrescentando ainda que “ por tudo isto, desejo que efectivamente surjam listas a sufrágio para levar por diante a nossa obra, pois muito há a fazer na aldeia, onde confesso, gostaria de ver nascer um Centro de Dia para os nossos idosos.


Sei que é dispendioso e que vai demorar alguns anos, mas ainda não desisti da ideia, contando com o apoio de todos os associados e naturais da nossa aldeia. Daí que seja necessário sangue novo a colaborar com a Associação. Novas ideias são necessárias. Ideias inovadoras, para seguirmos em frente com a obra, porque ela não acaba aqui na Sede Social do Grupo de Amigos. È mais abrangente e passa também pelo sonho desse Centro de Dia, que é também o sonho de muitos associados. Daí que, e repito, têm OBRIGATÓRIAMENTE de surgirem listas a sufrágio para assim se continuar com esse projecto, com essa obra.



Da minha parte, a próxima direcção terá todo o meu apoio e espírito de colaboração como não podia deixar de ser, porque em primeiro lugar estão os associados e a população da Aldeia”, adiantou.
Sobre a decisão de não se recandidatar a novo mandato, Jorge Manuel Cardoso justifica que “ a nossa Direcção trabalhou muito durante nestes quatro anos. Estou grato a todos eles, gente boa e maravilhosa, que em quatro anos, todos os dias, sem excepção, abriram a porta aos associados e ali trabalharam: Acácio Rei, João Albino, José Pereira Correia, Valentim Marques, António Belo, António Fernandes, João São Pedro, João Pires Agostinho entre muitos outros que connosco trabalharam e ajudaram. A todos eles, o meu AGRADECIMENTO PÚBLICO pelo grande trabalho efectuado”, acrescentou.



Sei que estão cansados e nem sempre foram compreendidos por meia dúzia de pessoas que fizeram da crítica á Direcção , o seu porta estandarte durante estes últimos tempos. È bom não esquecer que o trabalho realizado foi sempre em regime de voluntariado por todos. Estivemos unidos e sempre decidimos em conformidade e o que achámos melhor para o futuro do GAVR”.